Por Robson Thiago Alves da Silva

Que a receita federal monitora a atividade econômica e financeira dos contribuintes não é novidade, mas você já se perguntou como isso ocorre realmente?

Todos os contribuintes, sejam pessoas física ou jurídica, enviam regularmente informações aos fiscos, essas informações são enviadas, na maioria das vezes, através de declarações eletrônicas e através da emissão de notas fiscais eletrônicas. Para se ter uma ideia, existem declarações relativas a operações imobiliárias, operações com cartão de crédito e serviços médicos, as empresas declaram faturamento, aquisições, clientes, fornecedores e produtos, enfim, a Receita Federal recebe praticamente todas as informações financeiras e econômicas dos contribuintes.

O fisco brasileiro investe constantemente em ferramentas que permitem a fiscalização em tempo real, são sistemas com algoritmos avançados, com inteligência artificial, que processam e cruzam todas as informações recebidas. Por meio desses cruzamentos o fisco consegue detectar qualquer inconsistência, como fraudes, sonegação fiscal ou informações equivocadas.

Diante disso, e da alta complexidade da legislação brasileira, é muito importante que as empresas analisem as declarações previamente, cruzem os dados de todas as declarações e que controlem todas as informações. Alguns contribuintes já foram penalizados por enviarem dados inválidos ou por omitirem informações.

Estamos nos aproximando do prazo anual de 3 declarações muito importantes e extremamente relevantes para contribuintes e fisco, são elas: (i) DIRPF – Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda de Pessoa Física; (ii) ECD – Escrituração Contábil Digital; e (iii) ECF – Escrituração Contábil Fiscal.

Para evitar prejuízos e contratempos com o fisco, o ideal é contar com uma empresa especializada, capaz de garantir que todas as informações serão processadas e enviadas corretamente. A Cassuli possui ferramentas e uma equipe técnica especializada para assessorar a sua empresa e garantir o compliance das informações disponibilizadas a Receita Federal.

 

Últimos Insights



RESPONSABILIDADE CIVIL POR VÍCIOS CONSTRUTIVOS

Por Luciana Rubini Tambosi. A responsabilidade civil por vícios construtivos é um tema de grande relevância no direito imobiliário, na medida em que objetiva garantir a...

Continue lendo

NOVA OBRIGAÇÃO ACESSÓRIA – DIRBI – DECLARAÇÃO DE INCENTIVOS, RENÚNCIAS, BENEFÍCIOS E IMUNIDADES DE NATUREZA TRIBUTÁRIA

Por Robson Thiago Alves da Silva. O governo brasileiro publicou a Instrução Normativa RFB nº 2.186/2024, que estabelece diretrizes para a Declaração de Incentivos,...

Continue lendo

DEPRECIAÇÃO ACELERADA: OPORTUNIDADES E LIMITAÇÕES DA LEI 14.871/2024

Por José Alberto Prates Costa. No último mês, o governo federal publicou a Lei nº 14.871/2024, trazendo novas regras para a depreciação tributária de máquinas,...

Continue lendo