Por Ana Luiza Schweitzer.

A Primeira Seção de Julgamento do STJ afetou à sistemática dos recursos repetitivos o Tema n. 1182 que tem por objetivo delimitar a controvérsia sobre a possibilidade de o contribuinte excluir da base de cálculo do IRPJ e da CSLL os demais benefícios fiscais de ICMS como, por exemplo, a redução de base de cálculo e a redução de alíquota.

A discussão vem ganhando relevância nos Tribunais, ao passo que segundo o voto do Ministro Relator Benedito Gonçalvez, os benefícios fiscais concedidos pelos Estados não se limitam, exclusivamente, ao crédito presumido, mas em “diversas espécies de favores legais conferidos pela Lei específica”.

O tema é, em verdade, uma extensão do entendimento proferido no julgamento do Recurso Especial nº 1.517.492/PR o qual, na ocasião, limitou-se ao reconhecimento da possibilidade de excluir o crédito presumido de ICMS das bases de cálculo do IRPJ e da CSLL.

Enquanto a matéria não é analisada pelo STJ, os processos individuais ou coletivos, ficarão suspensos aguardando a posição final do tribunal.

A CASSULI ADVOCACIA E CONSULTORIA acompanhará de perto os desdobramentos envolvendo o assunto, de modo a manter informados os contribuintes.

Últimos Insights



CONTRATO, ESCRITURA E REGISTROS IMOBILIÁRIOS: UM BREVE PANORAMA

Por Luciana Rubini Tambosi. No universo do mercado imobiliário, a compra e venda de imóveis é uma transação complexa que requer a observância de diversos aspectos...

Continue lendo

ANTEPROJETO DO NOVO CÓDIGO CIVIL EXCLUI CÔNJUGE DO ROL DE HERDEIROS NECESSÁRIOS

Por Amanda Fernandes Hinterholz Foi apresentado ao Senado Federal o Anteprojeto de Reforma do Código Civil contendo todas as alterações propostas pela comissão de...

Continue lendo

EM DECISÃO LIMINAR E COM EFEITOS IMEDIATOS O STF SUSPENDE DESONERAÇÃO DA FOLHA

Por Micaela Day da Silva. No último dia 25, o Supremo Tribunal Federal (STF), atendendo a pedido do Governo Federal na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) nº...

Continue lendo