Por Cristiano Mahfud Watzko 

O Fundo de Investimento nas Cadeias Produtivas Agroindustriais (FIAGRO) foi criado através de lei (Lei 14.130/2021) e tem como objetivo auxiliar no financiamento ao setor agropecuário do Brasil.
Entre os benefícios do FIAGRO, constam: isenção de imposto de renda (IR) para o rendimento distribuído (dividendos) para pessoas físicas que passem a alocar recursos nestes fundos, de forma similar ao que se tem com os fundos imobiliários (FII´s); e o diferimento (adiamento) no recolhimento do IR sobre o ganho de capital apurado na integralização de bens no fundo, como de imóvel rural.
Em razão disso, entende-se que o veículo passa a ser um estímulo à entrada de produtores agropecuários no mercado de capitais, bem como de investidores no setor de agronegócio.

Importante ressalva, a isenção do Imposto de Renda nas distribuições aos cotistas deve obedecer a algumas condições, entre elas, a necessidade de mais de 50 cotistas.

O FIAGRO além disso, possui a vantagem de poder participar diretamente em negócios do setor, o que os já existentes Fundos de Investimentos Imobiliários não eram permitidos. Os Fundos de Participações (FIP) não podem ter participação em empresas e ativos securitizados, já para o FIAGRO esta proibição não existe.

A CASSULI ADVOCACIA E CONSULTORIA, continuará acompanhando as informações relativas ao assunto, informando seus stakeholders.

Últimos Insights



A FLEXIBILIZAÇÃO DO VALE-REFEIÇÃO E OS REFLEXOS PARA AS EMPRESAS NO ÂMBITO DO PAT

Por Adilson Luís Bornhausen Em 10 de novembro o Executivo Federal editou o Decreto nº 10.854 que altera uma série de normas trabalhistas, dentre elas, com o intuito de...

Continue lendo

AS “DIRETIVAS ANTECIPADAS DE VONTADE” E O PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO

Por Francieli da Silva Vasconcelos e Elisangela Bitencourt Nos últimos anos o termo “Diretivas Antecipadas de Vontade” (ou simplesmente “DAV”) tem sido objeto de...

Continue lendo

STF CONSIDERA INCONSTITUCIONAL ICMS COM ALÍQUOTA MAIOR PARA ENERGIA ELÉTRICA E TELECOMUNICAÇÕES

Por André Hinterholz e Rafael Figura O Plenário  do STF concluiu no dia 22 de novembro o julgamento virtual do RE nº 714.139/SC, em que, por oito votos a três,...

Continue lendo