Por: Bárbara Prochaska Lemos

No último dia 05 de junho, após dois dias de reunião em Londres, os Ministros de Finanças do G7 (grupo formado por Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Japão, França, Canadá e Itália) fecharam o que chamaram de “acordo histórico” sobre tributação de empresas multinacionais, com foco nos gigantes da tecnologia como Google, Apple e Facebook.

Esse acordo prevê a criação de um imposto global com alíquota de, no mínimo, 15% por cento, cujo objetivo é evitar a existência de paraísos fiscais, onde essas empresas remetam seus lucros com a intenção de pagar menos ou nenhum imposto.

Para o ministro das Finanças do Reino Unido, Rishi Sunak, o documento é um marco histórico que anuncia uma reforma tributária mundial e, a despeito de ainda haver dúvidas quanto os 15% ser a alíquota efetiva ou um índice para obtenção da base de cálculo, o fato é que a instituição desse tributo global será levada para deliberação na reunião do G20, a ser realizada em julho, em Veneza.

A CASSULI continuará acompanhando de perto as negociações no sentido da criação do chamado imposto global e informando seus stakeholders.

Últimos Insights



A FLEXIBILIZAÇÃO DO VALE-REFEIÇÃO E OS REFLEXOS PARA AS EMPRESAS NO ÂMBITO DO PAT

Por Adilson Luís Bornhausen Em 10 de novembro o Executivo Federal editou o Decreto nº 10.854 que altera uma série de normas trabalhistas, dentre elas, com o intuito de...

Continue lendo

AS “DIRETIVAS ANTECIPADAS DE VONTADE” E O PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO

Por Francieli da Silva Vasconcelos e Elisangela Bitencourt Nos últimos anos o termo “Diretivas Antecipadas de Vontade” (ou simplesmente “DAV”) tem sido objeto de...

Continue lendo

STF CONSIDERA INCONSTITUCIONAL ICMS COM ALÍQUOTA MAIOR PARA ENERGIA ELÉTRICA E TELECOMUNICAÇÕES

Por André Hinterholz e Rafael Figura O Plenário  do STF concluiu no dia 22 de novembro o julgamento virtual do RE nº 714.139/SC, em que, por oito votos a três,...

Continue lendo