Por: Bárbara Prochaska Lemos

No último dia 05 de junho, após dois dias de reunião em Londres, os Ministros de Finanças do G7 (grupo formado por Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Japão, França, Canadá e Itália) fecharam o que chamaram de “acordo histórico” sobre tributação de empresas multinacionais, com foco nos gigantes da tecnologia como Google, Apple e Facebook.

Esse acordo prevê a criação de um imposto global com alíquota de, no mínimo, 15% por cento, cujo objetivo é evitar a existência de paraísos fiscais, onde essas empresas remetam seus lucros com a intenção de pagar menos ou nenhum imposto.

Para o ministro das Finanças do Reino Unido, Rishi Sunak, o documento é um marco histórico que anuncia uma reforma tributária mundial e, a despeito de ainda haver dúvidas quanto os 15% ser a alíquota efetiva ou um índice para obtenção da base de cálculo, o fato é que a instituição desse tributo global será levada para deliberação na reunião do G20, a ser realizada em julho, em Veneza.

A CASSULI continuará acompanhando de perto as negociações no sentido da criação do chamado imposto global e informando seus stakeholders.

Últimos Insights



IMPORTÂNCIA DA VALIDAÇÃO DAS INFORMAÇÕES ENVIADAS AO FISCO

Por Robson Thiago Alves da Silva Que a receita federal monitora a atividade econômica e financeira dos contribuintes não é novidade, mas você já se perguntou como isso...

Continue lendo

STF JULGA INCONSTITUCIONAL LEIS ESTADUAIS QUE INSTITUEM ITCMD SOBRE HERANÇA NO EXTERIOR

Por Iago Machado Melo O Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD) tem como fato gerador a transmissão de bens e direitos em razão da abertura da sucessão ou...

Continue lendo

ESTADO DE SANTA CATARINA REDUZ O ICMS DO LEITE E DE OUTROS ALIMENTOS

Por Aline Fulik Pereira Na última segunda feira (09), foi publicado no Diário Oficial de Santa Catarina a sanção do Projeto de Lei (PL) 78/2022, convertido na Lei...

Continue lendo