Por: Elisangela Bitencourt

Ao longo da vida pessoal ou organizacional, chega um momento que todos nós deveríamos pensar na sucessão patrimonial dos bens de forma planejada e estruturada a fim de assegurar a proteção do patrimônio adquirido ao longo de anos e anos de trabalho.

Para isso existem mecanismos de proteção que evitam a dispersão e a dilapidação patrimonial conquistada. Um deles é o Planejamento Sucessório.

Esse planejamento serve para avaliar e indicar qual será o melhor caminho, a melhor alternativa para a organização do patrimônio, seja com a lavratura de um Testamento, ou mesmo com a acomodação dos bens em sociedade destinada a esse fim.

Assim, o Planejamento Sucessório é um instrumento jurídico que serve para a organizar a sucessão (em vida), com o objetivo de evitar conflitos familiares futuros, possibilitar a profissionalização na gestão da administração dos bens pessoais e empresariais e estabelecer medidas que dificultem a sua dilapidação.

Ao adotar tais medidas há, ainda, uma considerável redução de gastos com inventário, menor impacto tributário, economia de tempo e, o mais relevante, a preparação dos sucessores para a condução e continuidade dos negócios iniciados pela família.

Buscar uma assessoria competente e dedicada para a modelagem da solução de proteção e preservação patrimonial customizada deve ser o caminho adequado para quem estiver nessa fase da vida.

A Cassuli Negócios Corporativos possui uma equipe totalmente dedicada e com expertise necessária ao processo de modelagem da solução de proteção e preservação patrimonial mais adequada, consideradas as especificidades pessoais e patrimoniais de cada família ou sociedade.

Últimos Insights



A FLEXIBILIZAÇÃO DO VALE-REFEIÇÃO E OS REFLEXOS PARA AS EMPRESAS NO ÂMBITO DO PAT

Por Adilson Luís Bornhausen Em 10 de novembro o Executivo Federal editou o Decreto nº 10.854 que altera uma série de normas trabalhistas, dentre elas, com o intuito de...

Continue lendo

AS “DIRETIVAS ANTECIPADAS DE VONTADE” E O PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO

Por Francieli da Silva Vasconcelos e Elisangela Bitencourt Nos últimos anos o termo “Diretivas Antecipadas de Vontade” (ou simplesmente “DAV”) tem sido objeto de...

Continue lendo

STF CONSIDERA INCONSTITUCIONAL ICMS COM ALÍQUOTA MAIOR PARA ENERGIA ELÉTRICA E TELECOMUNICAÇÕES

Por André Hinterholz e Rafael Figura O Plenário  do STF concluiu no dia 22 de novembro o julgamento virtual do RE nº 714.139/SC, em que, por oito votos a três,...

Continue lendo